Charutos Brasileiros Dona Flor

Charuto Dona Flor Seleção Robusto

Charuto Dona Flor Seleção Robusto

Este charuto é, antes de mais nada um grande sucesso da equipe de Marketing da Menendez & Amerino, os fabricantes dos charutos Dona Flor.
Este charuto conseguiu a façanha de ser avaliado e aparecer na revista americana Cigar Aficionado com uma nota 92. Um fato até então inédito para os charutos brasileiros. Isto em 2009, se não me engano, e desde então este charuto vem saltando aos olhos dos consumidores brasileiros e é hoje, sem dúvida, um grande sucesso de vendas.

Charuto Dona Flor Seleção Robusto
Charuto Dona Flor Seleção Robusto

A apresentação é muito bem elaborada, o charuto vem com uma segunda anilha com a inscrição Seleção. A capa é sempre escura (Mata Fina) e nota-se ser um charuto bem construído, bem firme mas com a capa um pouco rugosa demais.

Mas vamos acendê-lo. O tiro está médio, nem solto nem apertado, e o tabaco é bem saboroso, nada de amargor e quase nada de irritação na garganta. A medida que vou degustando aparece as notas do tabaco baiano, com um pouco de terra úmida e pimenta. A degustação vai evoluindo e o charuto começa a suavizar no terceiro terço, muito prazeiroso. Um retrogosto bem leve, com pouca impressão na língua. Muito bom charuto, vou dar uma nota 9,0. Tabaco bem fermentado, fluxo na medida, queima bem regular. Aprovado!

Nota: 9
Bitola: Robusto
Origem: Brasil
Vale o preço: Sim.
Voltaria a Comprar: Sim.

7 comentários em “Charuto Dona Flor Seleção Robusto

  1. macrofago

    Gosto muito do Dona Flor Seleção Robusto. É realmente o melhor Dona Flor que já tive o prazer de degustar.

    Parabéns pelo seu Blog ! Já entrou na lista de favoritos.

  2. Estou degustando esse fenômeno. Confesso que prefiro o robusto convencional. Tiro excelente, ótimo fluxo, aroma a frio rico e encorpado sabendo a couro. Queima por igual, cinza não tão clara mas uniforme. 4 cm sem cair chegando à anilha vermelha… O 2/3 revela o caráter do charuto, um pouco mais encorpado e picante que o primeiro com um leve amargor que não chega a comprometer.

    Aroma agradável que remete a couro, aêndoas e terra. A patroa gostou rs

    Retrogosto persistente e agradável sem qualquer amargor com picância acentuada mas bem agradável.

    Terceiro terço se anuncia promissor revelando uma cinza mais clara. Os sabores do charuto se mostram mais complexos e sua picância chega ao auge o que há de melhor, penso, nas boas terras do sul da Bahia…

    De fato não se trata apenas de uma excelete estratégia de marketing da MA. O charuto de fato possui qualidades superiores. Diria apenas que poderia ter sua capa um tanto menos rugoso fato que não compromete sua degustação mas que compromete sua apresentação visual.

    Degustei-o com duas xícaras de expresso dulce gusto descafeinado. O café incorpado acentuou as propriedades organolépticas desse belo exemplar nacional.

    Saudações Cariocas

    Alessandro Paes

    • Caro confrade. Muito boa sua avaliação, meus parabéns! O pessoal da Menendez Amerino sabe mesmo fazer ótimos charutos. Quando tiver oportunidade experimente também o Robusto Puro Mata Fina! Um forte abraço.

  3. Ricardo Ferreira de Melo

    – CAPA: Aparência rugosa, escura, fosca, lembrando camurça desgastada de cor marrom avermelhado. Bem construída e sem ranhuras com excessão dos veios abundantes.
    – Aparência: Por suas rugosidades, embora a bela construção, remete-me ao exótico, pela quebra de padrão senso comum dos capeamentos dos charutos.
    – Cheiro,a frio, me lembra, alem do comum do cedro, nota adocicada de couro e tabaco, ressaltando-me cheiro de melaço de cana.
    – PRIMEIRO TIRO: RESSALTAME TERRA HUMIDA, TABACO, SEM PICANCIA QUASE NENHUMA. Fumaça amanteigada.
    1°/3 – fluxo médio, com notas amanteigadas e o ranço de melaço de cana de açucar sem a doçura. Há madeira e leva a uma intuição de açúcar no terço inicial da língua. Cinza clara e queima regular. Embora sem doce, leva-nos a aromas doces e terrosos.
    2°/3 – Inicio trás as características do 1°/3, com a evolução dos sabores de madeira e um aroma circunspecto, sério. Com a continuaçã apresenta-se aroma de couro e castanha/ amêndoa. Notei também uma quebra dessa seriedade com notas frutadas/ florais mais divertidas, o que se desfez sem demora, voltando ao aroma serio, mas equilibrado. Suavidade é a característica, embora algum amargor que não compromete e boas impressões de terra úmida e tabaco amendoado e um couro de leve no fim do 2°/3.
    3°/3 – Inicia com leveza e sem impregnar na língua peso algum, com aroma se intensificando. A intuição leve de adocicado próprio, embora sem doce. Mostra-se, ao fundo, um toque de café e cacau, o que se desfaz dando lugar a madeira e o tabaco que acompanhou a degustação, bem como a terra equilibrada, que dão personalidade ao charuto. No final do 3°/3, resina/ óleos do fumo trazem um perfume que distante lembra madeira perfumada em defumação ou cravo torrado, o que cede lugar a terra úmida e uma amêndoa bem de fundo.
    Charuto de personalidade, embora estivesse esperando, pela minha ignorância inicial, impressões mais doces no paladar.
    Saliento que sou um aprendiz.

  4. renato

    Charuto muito agradável, suave e ao mesmo tempo complexo, aos apreciadores, um ótimo exemplar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: